Páginas

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Será que aguento? Como gerir filho, casa e trabalho sozinha

Dezembro de 2016 terminou com mudanças no seio da nossa família. Por motivos profissionais o homem está durante a semana fora de casa, o que obriga a uma disciplina e organização muito mais rigorosas.
2017 começou, por isso, com a criação de novos hábitos e adaptação a esta nova realidade. Por um lado, gerir com o Francisco a ausência do pai e por outro gerir toda a organização familiar para que eu própria consiga ter tempo para os meus treinos que tanto bem me fazem à cabeça e ao corpo.
Estar sozinha já não é uma novidade, em agosto, também por motivos profissionais já tinha tido a experiência de conciliar tudo e a coisa até correu bem, mas agora a situação vai prolongar-se por tempo indeterminado o que exige mais estofo, organização e disciplina para equilibrar tudo.
So far so good e a coisa tem corrido bem. Ainda não consegui retomar os treinos em força como gostaria, mas os saldos e as trocas do Natal têm dado cabo das minhas horas de almoço :)
E porque é que eu acho que tem estado a correr tudo tão bem? Porque tenho feito algumas coisas que considero cruciais:
  1. Antecipar – preparar o que der para preparar de véspera (mochilas, marmitas, roupas), ou no caso das refeições escolher um dia do fim de semana para cozinhar para o resto dos dias, antecipar faltas de compras/mantimentos para não ficar agarrada a meio da noite com um “quero um leitinho” ou uma febre súbita.
  2. Manter a rotina estabelecida (dentro do possível) – horas de deitar, de levantar e horas das refeições
  3. Envolver a criança nas tarefas e responsabilidades – arrumar o casaco no local correto quando chega a casa, arrumar os brinquedos, ajudar a pôr a mesa, etc.
  4. Não acumular – já aqui disse que sempre tive alguns problemas de desarrumação, mas quando temos menos “mãos” a ajudar o fazer “agora” é muito importante para não gerar um caos onde futuramente seja muito mais difícil orientar-me. Por exemplo, fazer as camas e arrumar os quartos antes de sair de casa, lavar a louça imediatamente a seguir às refeições, dobrar a roupa que não necessita de ser passada assim que sai do estendal são algumas das coisas que faço para evitar o “acumular” de tarefas.
  5. Estabelecer uma agenda em que contemple tempo para mim – para ir aos saldos, à manicure, ao ginásio, correr ou almoçar com uma amiga. Normalmente estabeleço a hora de almoço semanal como o “me time” para fazer aquilo que me apetece. Se dá todos os dias? Não. Há dias em que tenho de usar esse tempo para ir ao supermercado ou ir mudar uma lâmpada do carro ou terminar alguma coisa de trabalho, mas ainda assim continua presente na minha mente e na minha agenda a necessidade do “me time”.
  6. Criar uma rede de apoio – na verdade esta rede já existia são amigos, irmão e cunhada, pessoas muito próximas e com as quais eu sei que posso contar para o que for necessário e isso é essencial. Isso e aceitar a ajuda deles.
  7. Aceitar a ajuda dos outros – aceitar a ajuda dos outros é muito importante para que não me sinta a “afundar” no meio de tanta tarefa, regra e responsabilidade
  8. Aproveitar o fim de semana – pelo menos uma manhã, de sábado ou domingo, para restabelecer os níveis de energia.
E vocês como são as vossas rotinas?

Sem comentários:

Enviar um comentário