Páginas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

E quando não conseguimos entrar no espirito Natalício?

Se são daqueles que tem uma relação amor-ódio com o Natal e que já não suportam ouvir a colega do lado ouvir Mariah Carey em loop, ver sugestões de presentes de Natal em tudo quanto é revista, jornal, blog e afins, fica com urticária só de pensar em frequentar grandes superfícies nesta época, tenho uma sugestão para vocês, relativizem.
É verdade que o Natal é cada vez mais comercial, que já não há grande pachorra para todo este consumismo desmedido que nos torra o subsídio de Natal em três tempos e nos transforma em pequenos duendes nesta terra.
Mas o Natal é mais do que isto tudo e é nisso que me tento focar para não entrar em paranóia. Verdade que este ano, fruto de várias situações não estou lá muito imbuída no espírito Natalício, mas estou a fazer um esforço para pensar em tudo o que isto representa para além das prendas e dos quinhentos jantares de Natal.
Afinal Natal também é renovar a fé no que aí vem, é mostrar gratidão pelo que se teve este ano todo, é reconhecer onde estivemos bem e onde podemos melhorar e é sempre uma oportunidade de (re)nascer. Pensar assim no Natal ajuda-me a abstrair de todo este rodopio e a encarar a coisa de forma mais alegre e feliz.
E por aí? São pessoas que adoram esta época e deliram com o "All I want for Christmas" ou pelo contrário são daqueles que odeiam de morte?
Contem-me tudo e não me escondam nada.

29 Things Only Grinches Who Hate Christmas Know To Be True







Sem comentários:

Enviar um comentário