Páginas

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Alimentos que nos tornam mais felizes


 Sobre o post anterior e a dita nuvem que às vezes nos assombra sem percebermos muito bem porquê.
A maioria das vezes guardamos o sentimento e o desconforto para nós, escondendo-nos no medo daquilo que os outros possam achar ou pensar: que somos fracos emocionalmente, que não temos motivos para estar assim, que há pessoas com problemas a sério e que eu estou para aqui com estas merdas tretas quando tenho uma vida tão boa. É tudo muito verdade e todos podem ter muita razão, mas por muito que às vezes nos esforcemos a nuvem está lá e somos nós que a sentimos. Portanto é natural que aos olhos da maioria não se perceba. O problema é quando nós próprias ignoramos a nuvem e não nos permitimos conviver com essa nuvem que pode causar alguma chuva temporária. Os sentimentos existem para serem sentidos. E às vezes precisamos de nos permitir estar tristes, chorar, gritar, para depois ressuscitarmos e darmos um sopro valente na nuvem.
Ajuda o apoio e compreensão dos mais próximos, a introspeção, a meditação, o exercício físico e a alimentação (confesso que não sou muito a favor dos químicos, apesar de perceber que podem trazer resultados mais imediatos e serem até essenciais em algumas situações, mas eu prefiro claramente tentar a opção mais natural possível). Acredito que a alimentação tem muito impacto na forma como nos sentimos e por isso quando estou assim mais cinzenta há alguns alimentos que reforço na dieta:
  1. Frutos secos (nozes, amêndoas e pevides) - são boas fontes de selénio, magnésio, zinco e potássio e ajudam o nosso cérebro a trabalhar melhor;
  2. Tudo integral (arroz, massa, pão) - os hidratos ajudam-nos a sentir-nos felizes, mas é importante escolher os integrais porque são mais saudáveis, (atenção aos rótulos porque às vezes os produtos de integral não têm nada);
  3. Fruta - frutas como a banana são ricas em magnésio e triptofano fundamental para a formação da serotonina, que melhora o humor e ajuda a relaxar. Os frutos vermelhos, por exemplo, contém muitos antioxidantes essenciais para reforçar o sistema imunitário;
  4. Vegetais de folha verde - ricos em ferro que ajuda a produção de serotonina essencial para nos sentirmos mais felizes;
  5. Peixes gordos (salmão e atum) - ricos em ómega 3 e vitaminas do complexo B, atuam quase como antidepressivos naturais;
  6. Chocolate negro -  um quadradinho por dia, não faz mal a ninguém. Está carregado de antioxidantes e dão um empurrão na produção de endorfinas, que nos vão fazer sentir mais felizes.
Se dermos ao nosso corpo aquilo que ele precisa é meio caminho andado para solucionarmos os nossos problemas. Depois temos de nos permitir parar e ouvir-nos. Acredito que há uma voz em nós que nos diz exatamente o que fazer para nos sentirmos melhor, só que por vezes o ruído é tanto que é impossível percebermos a mensagem. Permitir-nos a parar e escutar é também muito importante.
Por exemplo, ontem tomei a decisão de tirar uns dias (aproveitando o Carnaval) para ficar em casa. Preciso de tempo para mim, de acordar na minha casa com calma, de tomar um pequeno-almoço relaxado, de abrir as janelas e sentir o sol a entrar. Os últimos fins de semana têm sido uma verdadeira roda viva, de um lado para o outro, em casa de uns, em casa de outros, visitar este, visitar aquele, almoçar com uns, jantar com outros, fazer malas, desfazer malas, voltar a fazer malas. Estou cansada. E ontem permiti-me a mim mesma dizer: chega! Eu não vou. Vou fazer o que me apetece e estou-me nas tintas para tudo o resto. Se as pessoas forem realmente amigas e quiserem o melhor para mim irão perceber. Se não quiserem perceber, tudo bem. Também não vou perder tempo a explicar.



1 comentário:

  1. Sol. 15 minutos de sol por dia sem filtros (tira os óculos de sol) fazem milagres. Tira outros 15 minutos para fazeres algo que te dê realmente prazer, um hobby, algo para ti. E abranda. Estás tão certa quando dizes que chega de andar para aqui e para ali... Eu também sinto que os meus fins de semana são muito cansativos, sempre com compromissos sociais de manhã à noite. Chega. Aprender a dizer não. E vais ver que tudo passará. Beijinhos!

    ResponderEliminar