Páginas

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Sobre esta maluqueira das prendas de Natal

Até este ano nunca tinha pensado muito na gestão das prendas às crianças. O Natal é delas e achava que não me devia meter no normal decorrer da época que acaba por ser de um consumismo desmesurado.
Mas este ano, a coisa tomou proporções que me forçaram a refletir: faz sentido todo este desperdício de dinheiro, recursos, espaço? E o puto dará assim tanto valor às prendas?
Pois acho que não.
Sei que toda a gente quer dar qualquer coisa, que toda a gente gosta de dar uma lembrancinha, mas o puto acabou o dia de Natal a abrir embrulhos, como se fosse uma produção em linha. Não faz sentido.
Para o ano, estou decidida a controlar a coisa e pelo menos entre os familiares mais próximos, vou combinar darmos em conjunto uma única prenda que ele queira muito e que peça na carta ao Pai Natal.
Custa-me o desperdício e este ano acho que o houve em demasia por estas bandas.

Sem comentários:

Enviar um comentário