Páginas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Irlanda

O bom de ter amigos que emigram é podermos conhecer novos países, com direito a guias de borla e alojamento garantido. Ter a sorte de ter amigos generosos que nos acolhem nas suas casas para uns dias de férias permite-nos poupar uma pequena fortuna que gastaríamos em alojamento e ter o acolhimento caloroso que nenhum hotel nos dá.
Os voos foram em low cost, aproveitamos umas promoções da Raynair e conseguimos ida e volta por oitenta euros. Apesar de achar a politica deles muito "vendilhona" (passaram as três horas de voo sempre a vender qualquer coisa, ou comida, ou jornais, ou dutty free ou rifas...), a viagem foi super tranquila.
Chegamos na sexta à hora de almoço e aproveitamos a tarde para conhecer a Guinness Storehouse, encontramos uma portuguesa, a Marta, que trabalha lá há um ano e meio e que nos explicou muito da história da Guiness. Adorei saber as histórias por detrás dos cartazes que fui vendo nos pubs, adorei saber um pouco mais sobre John Gilroy, responsável pelas primeiras ações de publicidade da Guinness e adorei claro, provar a cerveja. Tive oportunidade de degustar a Guinness West Indies, uma imitação daquilo que era a Guinness distribuída internacionalmente no passado, com um pouco mais de álcool que a Guinness normal e muito mais saborosa (na minha opinião).
Nesse dia à noite fomos sair, conhecer alguns pubs (que mais parecem museus, l-i-n-d-o-s.

No fim de semana rumamos a Sul, primeiro para Midleton, onde visitamos a destilaria da Jameson e ficamos a conhecer melhor todo o processo de produção. Depois de saber como a coisa é feita, até acho que o whisky não é assim tão caro para o custo de produção que tem. Apesar de não ser grande apreciadora adorei a opção Jameson Ginger (whisky com ginger ale).
 Jantamos em Kinsale, uma vila piscatória linda, num restautante muito catita e onde comemos divinamente. O verdadeiro fish em chips com bacalhau fresco era qualquer coisa. (a foto não faz jus ao prato, mas foi o que consegui com o telemóvel).

Domingo foi dia de dar volta pelas redondezas, conhecer um pouco da costa e visitar Cork.



Segunda e terça foram dedicadas a visitar Dublin.
Começamos a semana com uma corrida matinal pela cidade aproveitamos para conhecer logo alguns pontos de interesse: Merrion Square (onde vimos a estátua do Oscar Wilde), St. Stephen’s Green, Trinity College, Grafton Street e Temple Bar.

À tarde alugamos umas bicicletas e fomos até ao Irish National War Memorial Gardens, Irish Museum of Modern Art e Kilmainham Gaol.
Aproveitamos o final de tarde a jantar num pub, onde antigamente tinha sido um banco: B-R-U-T-A-L.
Terça começamos o dia com um tradicional Irish Breakfast (e só consegui voltar a comer às cinco da tarde).
A seguir pegamos nas "nossas" bicicletas e fomos até St Patricks Cathedral, Dublinia, Christ Church Cathedral, Dublin Castle Old Library do Trinity College. onde vimos o famoso Book of Kells. Adorei fiquei mesmo impressionada com o livro. Saímos dali a pé e passamos a Ha'penny Bridge e a O'Connor Street, mesmo em hora de ponta para ver a agitação.



Jantamos num restaurante perto da casa dos nossos amigos e deitamos cedo que no dia seguinte tínhamos um voo para apanhar bem cedo.
Os Irlandeses são muito simpáticos e atenciosos. O campo e a costa são lindos. Dublin parece uma vila grande, com passeios planos e pavimento certo, onde os monumentos me pareceram mais pequenos do que imaginava, mas onde é muito agradável passear. Ter apanhado apenas um dia de chuva foi uma grande sorte e a companhia de quem lá vive e que nos encheu de mimos, foi a cereja no topo do bolo.


Sem comentários:

Enviar um comentário