Páginas

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Clarividências de uma faminta

Vinha do meu apertão mensal aos dentes, esganada de fome, a pensar no que iria comer assim que parasse o carro e dei por mim e pensar que era melhor refrear a minha fúria de comida para não cometer excessos que me pudesse arrepender.
E depois deu-se o tal momento de clarividência: estar muito tempo sem ir às compras é muito semelhante a estar muito tempo sem comer. Quando finalmente se come/compra cai-se em exageros e excessos desnecessários.

Sem comentários:

Enviar um comentário