Páginas

quinta-feira, 26 de março de 2015

Ser mãe é #34

Sentir aquele amor incondicional.
Hoje de manhã, o homem vestia o miúdo enquanto eu tomava banho. Quando saio da casa de banho, ouço o Francisco a chamar por mim, com aquela voz doce e meiga, aquele "mãe" que derrete o coração. Paro no quarto dele e digo: "Olá". Ele levanta-se e dá-me um abracinho prolongado, com direito a aconchego no meu ombro e a sentir aquelas mini mãos nas minhas costas. Por momentos todo o stress e correria matinal desapareceram. Estávamos apenas ali os três num momento de contemplação deste amor que não se explica, que nos transborda do coração e enche a alma, o corpo e a mente e se estende além daquilo que conseguimos imaginar.
Já lá vai um ano e meio desde que ele entrou na nossa vida e a tornou tão, mas tão melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário