Páginas

sábado, 6 de dezembro de 2014

Noite de soltura

Ter uma noite de soltura hoje em dia é coisa rara. Com a vida de mãe, mulher, dona de casa, profissional, quando sobra um tempinho na agenda a malta quer é sopas e descanso, uma manta quentinha e sofá.
Mas quando há oportunidade para uma saída e se conjugam os melhores ingredientes: boa companhia, espaço agradável, boa comida e boa bebida, o resultado não podia ser melhor.
Sente-se uma liberdade tão boa como quando era adolescente e tinha autorização para sair até às duas da manhã. Consegue-se ter aquelas conversa de gaja, rir até doer a barriga, pedir uma e outra garrafa de vinho, fazer declarações de "amor" às amigas, ficar sentimentalista e acabar aos abraços e de lágrima no canto do olho. E depois chega-se a casa e manda-se aquela mensagem às amigas a saber se todas chegaram sãs e salvas e agradece-se um serão que me encheu o coração.

Sem comentários:

Enviar um comentário