Páginas

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Dizem que dos fracos não reza a história

E é bem verdade. Quando olho à minha volta e vejo pessoas de sucesso, penso que realmente a postura delas perante a vida é de alguém forte, otimista, perseverante e depois olho para mim, sinto-me fraca e acho que não vou a lado nenhum.
Lembro-me de em adolescente ser uma miúda tão sonhadora, tão otimista, tão genuína, tão crente, mas nos últimos meses o desgaste de algumas situações tem-me estado a consumir a alma, o sonho e a crença em tudo. Sinto-me de pés e mãos atadas e sem conseguir respirar.
Vejo-me envolvida numa paz podre, em cenários de falsidade e incerteza e sinto-me forçada a viver assim para garantir um emprego, mas isto não tem a ver comigo, eu não sou assim e a situação está a consumir-me!
Gostava de ter coragem de virar a mesa. Juro que gostava. Sei que esse era o passo para me sentir leve e feliz, para deixar de ouvir este ruído na cabeça que me torna impotente perante mim própria, mas sou fraca e não tenho coragem para tal.
Prefiro vir aqui lamentar-me, é mais fácil e seguro. Prefiro depositar aqui uma série de baboseiras e esperar que isso milagrosamente altere alguma coisa.
E estar a aqui a escrever isto ainda faz de mim mais fraca.
Ou então serve para perceber o quão ridícula está a ser a forma de olhar para isto tudo e fazer o “click” para passar a ver o copo meio cheio em vez de meio vazio. E em vez de me focar apenas numa coisa menos boa que está a acontecer na minha vida, focar-me em todas as outras maravilhosas que me estão a passar ao lado, como o crescimento do Francisco, o Natal, todo um mundo lá fora que estou a deixar de ver, porque apenas olho de forma enviesada para uma merda que não sei como resolver.


3 comentários:

  1. Pensei como tu durante anos. Não és fraca. Ter medo nem sempre significa ser fraca. Começa por procurar anúncios, como quem não quer a coisa, e a alimentar o sonho. Um dia, quem sabe...

    ResponderEliminar
  2. Onde está a força interior ? E o post do outro dia " Até que leio um artigo, uma frase, vejo um filme, ouço uma conversa que me relembra que as coisas não são bem assim, que há uma tendência genética e psicológica a ver as coisas enviesadas e que a maioria delas está apenas na minha cabeça, que mudando o mind-set e a atitude é possível enfrentar esse medo, recomeçar tudo outra vez, voltar a ouvir-me, voltar a ter o poder de controlar a minha vida, a minha vontade a minha história.

    ResponderEliminar
  3. Acho que temos que beber mais una cafés, e almoçar mais vezes....

    ResponderEliminar