Páginas

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Os laços que se criam

Hoje voltei ao sítio de sempre, para fazer a minha manicure, mas hoje não estava lá a “minha” Lisa.
Fui atendida por uma menina igualmente simpática, mas não é a “minha” Lisa.
A Lisa foi ao longo dos últimos cinco anos conquistando um lugar no meu coração e mais do que uma manicura que me cuidava das mãos como ninguém tornou-se uma amiga, uma confidente.
Por circunstâncias da vida voltou ao seu país Natal, foi em busca de melhor qualidade de vida para si e para os seus e por muita falta que lhe sinta, sei que está melhor e não podia estar mais feliz.
Mas agora a quem vou confidenciar os dramas da minha vida enquanto me tiram as cutículas? Com quem vou partilhar alegrias pessoais enquanto as unhas secam no secador (ou lá como aquilo se chama)? Com quem vou trocar comentários irónicos naquela hora que passava a correr e agora parece uma eternidade?
Sei que agora tenho de me habituar a novas pessoas, novos “métodos” de trabalho mas é só isso, porque dificilmente alguém conseguirá ocupar o lugar dela, da “minha” Lisa.
Desejo-te o melhor nesta nova etapa da tua vida, “minha” querida Lisa! Fazes-me falta.

Sem comentários:

Enviar um comentário