Páginas

terça-feira, 28 de outubro de 2014

A mulher, o homem e a vida doméstica

Quantos de nós já não tivemos discussões por causa da divisão de tarefas domésticas? Quantos de nós que não a sorte de ter empregada todos os dias não desatinou já com o/a companheira por não ajudar a fazer o jantar, a lavar a loiça ou a por roupa a lavar?
Então quando se tem filhos a coisa ganha ainda mais intensidade. A nós, mulheres é nos incumbido o papel principal de cuidadoras do bebé, depois começamos a trabalhar, temos de conciliar o cuidar do bebé, com o tentar não perder o barco no escritório e às tantas damos conta que o nosso homem continua a dedicar mais tempo ao trabalho dele do que nós, que apesar de ajudar pontualmente nas tarefas não sente nenhuma responsabilidade como dele. De pensar no que fazer para o jantar, comprar roupa para o puto. Nada. E de quem é a culpa? Da sociedade? Das mãezinhas deles? Nossa?
Falando por experiência própria acredito que em parte a culpa seja nossa, porque não sabemos delegar. Eu pelo menos, tenho esse problema. Visto a capa de super mulher e ai-de quem se meta no caminho. Desfaço-me em mil afazeres para conseguir fazer tudo e mostrar que não preciso de ninguém. Mas para quê?? Para quê? Para depois andar aí aos caídos, morta de cansaço e sem paciência para nada?!
Até que a mãe natureza decide presentear-me com uma virose, logo na altura em que tenho de estar presente num evento importante e não tenho outra alternativa se não delegar, depositar confiança no meu parceiro para ser o cuidador do filho e da casa, porque eu, mal consigo cuidar de mim para estar minimamente em condições no evento.
Passo as horas a culpar-me porque não deixei a roupa preparada ou a sopa, mas quando chego ao fim do dia percebo que está tudo bem. Os dois dormem tranquilamente e ninguém passou fome ou frio, ou se sentiu desconfortável por a mãe ter "negligenciado" as suas tarefas num dia. Ninguém, além de mim própria que carrego essa culpa comigo.

Sem comentários:

Enviar um comentário