Páginas

sábado, 14 de junho de 2014

Hoje a noite foi terrível, febre, dores de garganta insuportáveis e nariz completamente obstruído. Acordei pela enésima vez às seis e meia da manhã e estive a contar os minutos até abrir o centro de atendimento médico permanente. Às oito em ponto lá estava eu, mais morta que viva, a ter de repetir as coisas duas vezes à senhora da recepção para ela perceber, tal era o meu estado de fanhosice. Às oito e meia já tinha sido atendida e vim para casa com medicação que chega para tratar um batalhão. É que isto até amanhã à noite tem de ficar bom, é que tem mesmo. Ou vai ou racha!

1 comentário: