Páginas

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Sobre o dia dos namorados...

Quando andava por aí aos caídos sem namorado este era sempre um dia que detestava. Sentia-me sempre triste, só e normalmente acabava a noite a chorar baba e ranho, porque não tinha ninguém com quem partilhar piroseiras ou dar um presente lamechas. Até ao dia em que me juntei ao grupo de pessoas que abomina o dia e o passei a ignorar.
No primeiro dia dos namorados com o, agora meu marido, ele questionou-me sobre o que queria fazer e eu armada em indiferente disse-lhe que nada. Note-se que namorávamos há muito pouco tempo. Ele todo meloso ainda diz, ah pelo menos umas flores devia oferecer-te. Ao que eu lhe respondi que as flores nesta época eram caríssimas e que não valia a pena ele gastar uma fortuna neste dia, que noutro me oferecia qualquer coisa.
Ele como menino obediente assim fez.
Quando ele, à noite, me apareceu em casa sem nada eu fiquei toda roída por dentro. Na verdade eu queria ter recebido as ditas flores e comentei desolada: "Ah não trouxeste nada..."
Ele inocentemente ainda me diz que tinha escrito um poema, mas que se tinha esquecido dele no escritório e eu em vez de o encher de beijinhos e carinhos, não. Desatinei. Mesmo uma cena à gaja digna de se ver.
Escusado será dizer que nuuunca mais se comemorou o dia dos namorados nesta casa, nem tão pouco se fala sobre o assunto.

1 comentário:

  1. bom dia, penso que são apenas datas, muito mais comerciais do que qq outra coisa, como o dia dos pais, das mães, das crianças, do estudante, e por aí a fora... aqui no Brasil esta data é comemorada em 12 de junho...
    tenha um bom dia... abç...

    ResponderEliminar