Páginas

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Licença de maternidade alargada, sim ou não?

Já tínhamos tudo planeado: eu ficava em casa 5 meses e depois disso o pai ficava mais um mês em casa com o Francisco. Assim, ele não teria de ir tão pequeno para a creche (feliz ou infelizmente é a única opção que temos neste momento, uma vez que os nossos pais estão longe e ter uma ama em casa não cabe no nosso orçamento - para além de não saber bem se isso também seria assim tão melhor que a creche). Acontece que surgiu um projeto irrecusável ao homem e infelizmente não poderá ficar em casa o mês que era suposto. Assim sendo, restam-nos duas opções: colocar o Francisco na creche dentro de um mês ou eu tirar uma licença de maternidade alargada.
Apesar de no período de licença alargada apenas se receber a 25%, nem é tanto isso que está a pesar na decisão. É que uma pessoa já está afastada do trabalho há 6 meses (um de baixa antes do Francisco nascer, mais 5 agora) e ficar ainda mais um mês longe... Será que vai ser bem encarado na entidade patronal? E os colegas como irão reagir? Será que continuarei a ter o meu lugar à disposição ou inevitavelmente serei passada para trás?
É que isto de ser mãe é muito bonito, mas acabamos por momentaneamente abdicar da nossa vida profissional, não que isso me preocupe neste momento, confesso que a minha prioridade é o Francisco. Mas ainda assim, acho que para ser uma boa mãe, tenho de me sentir realizada a nível profissional, tenho de sentir-me bem a nível emocional, enfim tenho de estar equilibrada. E se há coisa que aprendi nos últimos anos é que para manter o equilíbrio das coisas temos de alimentar as diversas áreas da nossa vida, se não corremos o risco de ser umas mulheres frustadas e rabugentas com o mundo.
Posto isto, continuo com as mesmíssimas dúvidas. Ficar mais um mês em casa: sim ou não?

Sem comentários:

Enviar um comentário