Páginas

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

E o susto que apanhei ontem?!

Tinha acabado de adormecer o Francisco quando acedo ao email no telemóvel e vejo um dos RH da empresa onde trabalho a dizer que tinham contactado a Segurança Social e afinal não era possível eu colocar a licença alargada, se quisesse poderia meter férias para estender o período em casa com o miúdo.
Bem, a minha primeira reação foi começar a chorar. Só conseguia olhar para o Francisco no berço, ainda tão pequenino e pensar que não era possível estar a deixá-lo na creche daí a 15dias.
Depois de repente, limpei as lágrimas e pensei: " Mónica Francisca de nada adianta estares para aqui a choramigar, pega é no telefone, liga para a segurança social e tenta perceber o porquê de não ser possível. Chorar não vai resolver nada, por isso faz mas é alguma coisa".
E assim fiz, liguei para a segurança social e lá me disseram que era possível. Suspirei de alívio e liguei para os RH a dar a boa nova. Voltaram a dizer-me que não era possível pois já tinha gozado a licença máxima (150 dias). Voltei a ligar para a segurança social para esclarecer e a verdade é que após a licença de parentalidade de 150 dias (pagos a 80%) é possível a mãe tirar até 90 dias de licença parental alargada (pagos apenas a 25%). O pai também pode gozar desta licença alargada. No fundo é uma forma de prolongar a licença de parentalidade para que os bebés não tenham de ir tão cedo para creches e berçários e afins.
Voltei a suspirar de alívio e já com todos os esclarecimentos legais, voltei a ligar para os RH a informar do veredicto.
Depois de tudo tratado na Segurança Social directa agora é esperar que efetivamente a coisa seja aprovada. Até ter o ok, agora vou andar sempre de coração aos pulos. Vai-se a ver foi por isso que está noite dormi tão mal...

Sem comentários:

Enviar um comentário