Páginas

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Feminino crónico

Hoje que estou particularmente em modo feminino crónico (rabugenta e dramática) vem este artigo enfiar-se pelos meus olhos adentro. Se calhar tenho mesmo de trabalhar o meu “músculo” da gratidão.

Sem comentários:

Enviar um comentário