Páginas

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Comparações

No outro dia em conversa de raparigas reparei que não sou a única a sofrer algumas vezes por comparação… Temos a mania de olhar para a “galinha do vizinho” e achar que é melhor que a minha… e depois entramos num muro de lamentações, queixumes e vitimizações que só visto. (falo naturalmente por mim e não quer isto dizer que todas as mulheres sejam rotuladas por este tipo de comportamento).

“Ah o que eu gostava era de ter o cabelo liso”, “ah o que eu gostava era de ter o cabelo encaracolado”, “Ah o que eu queria era ter o rabo como aquela”, “Ah o que queria era ter a barriguinha da outra” e esquecemo-nos de valorizar aquilo que temos… já referi aqui um artigo sobre a gratidão e claro que me custa pensar “ah e tal estou tão grata pelas toneladas de celulite que tenho nas coxas”… claro que preferia não ter… mas em vez de passar 3 vezes por semana a lamentar-me disso se desse corda aos ténis e começasse a fazer algum desporto, se calhar a coisa rendia mais.

Mas depois o meu lado molengão e o comodismo falam mais alto e acabo por não agir. E acho que esse é muitas vezes o nosso problema. Falamos, temos ideias, mas depois não damos o passo seguinte de passar à ação… arranjamos mil e uma desculpas e preferimos perder tempo a fazê-lo do que meter as mãos na massa. Porquê? Principalmente porque custa sair da zona de conforto, seja para fazer desporto, abrir um novo negócio ou pôr ordem na roupa que está no armário…
Aquilo que nos esquecemos é que sair da zona de conforto, apesar do incómodo que pode causar inicialmente, pode vir a trazer-nos um benefício e um prazer finais que claramente compensam tudo isso.

1 comentário:

  1. Ora estamos à tua espera para acabar com esse incómodo :)
    Coragem!

    ResponderEliminar